quarta-feira, 6 de outubro de 2010

O OBJETIVO DE UMA ESCOLA DE SAMBA

Gestão Moderna de Escola de Samba

“A escola de samba é a nossa maior referência em gestão.

E o curioso é que, enquanto continuamos fazendo experiências

com modelos e gurus de outras realidades culturais, temos

aqui mesmo uma das estruturas mais fantásticas de satisfação

do cliente, equipe integrada e altíssimo índice de motivação individual”

Renato Bernhoeft

Hoje em dia, um dos resultados que as empresas mais procuram na sua forma organizacional de gestão continua sendo uma fórmula para encantar e atrair clientes e ao mesmo tempo crie um modelo interno de união do grupo e consiga comprometer seus colaboradores de maneira criativa e com entusiasmo. Ou seja, justapondo interesses coletivos.

Dentro da realidade brasileira existe um setor que alia todos os questionamentos expostos no parágrafo anterior. é a escola de samba. E ela pode ser vista como um processo de estruturação coletiva e individual da alegria que nos enche de encantamento.

Precisamos entender que a escola da samba não funciona apenas no período do carnaval. Ela gera empregos, desenvolve sistemas, estimula a criatividade, consequentemente, exige um grau de gerenciamento e estruturação.

O espetáculo que vemos durante os desfiles, é o resultado de muito trabalho, competência e estruturação.

São centenas de pessoas trabalhando durante todo o ano, muitas vezes virando madrugadas, mas com um único objetivo: fazer a escola campeã no carnaval. Hoje, a maioria das escolas de samba são empresas, têm organização, método e planejamento. E, como em qualquer empresa, as escolas de samba também são divididas em “departamentos”.

Um mês após o término do carnaval, as escolas montam um cronograma que será válido até o próximo desfile. O enredo é definido até junho, quando tudo que foi idealizado começa a ser concretizado. é nesta época que se procuram parcerias e o carnavalesco se reúne com os compositores para a criação do samba-enredo e coordenar os trabalhos de figurino e alegorias. Organização é fundamental. Sem ela, o trabalho não evolui e as coisas passam a ficar sem estruturação.

Como podemos perceber, até aqui tudo é muito parecido com qualquer outra empresa: cronograma, planejamento, organização, direção, parcerias, reuniões. Tudo faz parte do dia-a-dia de qualquer empresa.

O segredo do sucesso está no acreditar dos componentes pois acreditam no que fazem. Sabem que são importantes. E que a vitória depende deles. A união da equipe é o maior fator para se alcançar grandes resultados.

O trabalho coletivo é fortemente valorizado nas escolas de samba. Diferentemente do que acontece nas empresas, nas escolas de samba há um envolvimento emocional muito grande por parte de todos os componentes. Muitas vezes é isso que falta às empresas.

Transparência de objetivos. Eis as palavras-chaves. Afinal mão há como se envolver com um idéia sem conhecê-la. Apesar de parecer simples, a maioria das empresas não tem a cultura de compartilhar suas metas com os funcionários. é preciso perceber que os objetivos pessoais estão ligados aos objetivos coletivos, pois só através do trabalho coletivo conseguiremos alcançar os objetivos propostos.

Dentro de uma escola de samba não deve haver lugar para a valorização do ego. A estrela principal do espetáculo é a agremiação e, essa idéia deve ser passada para todos os componentes.

No universo de uma escola de samba para atingir um bom resultado na avenida é necessário saber administrar riscos. As pessoas precisam aprender com os próprios erros. Errar naquilo que se conhece é imperdoável, mas errar à procura do novo é bom, e deve ser incentivado. Porque se você não arriscar, nunca conseguirá, melhorar seus resultados.

Outros conceitos como visão de conjunto, organização, estabelecimento de confiança e desenvolvimento de liderança devem ser levados em consideração. Primeiramente devemos partir da teoria para depois colocarmos tudo na prática. Só assim conseguiremos executar as tarefas a contento, sem atropelos e desgastes desnecessários.

Um outro fator que deve ser considerado é a parte da sustentabilidade de uma agremiação. Essa sustentabilidade deve ser ao longo de todo o ano e, não só na busca de enredos de patrocínio. Temos como exemplo claro o caso da Mangueira, que mantém patrocinadores durante todo o ano, tendo uma gestão com visão empresarial.

A intenção deste estudo é mostrar que a escola de samba nos dias atuais deve ter uma visão empresarial. Já se foi o tempo em que grupos de pessoas de comunidades afins se reuniam nos dias de carnaval para um desfile pelas ruas do bairro. Hoje o espetáculo tomou proporções gigantescas e, para a realização de um desfile não se admite mais amadorismos e administrações mambembes. O verdadeiro gestor de uma escola de samba deve ter uma visão empresarial e dinâmica e, principalmente estar aberto às mudanças que ocorrem para a modernização transformadora que é o desfile das escolas de samba.

O moderno gestor de uma escola de samba deve estar sempre procurando métodos e estratégias que possam aperfeiçoar suas funções gerenciais dentro da idéias de planejamento, organização e controle. Seu planejamento deve ser com uma visão ampla de planejamento a longo prazo. Mudanças repentinas podem levar ao fracasso total As conquistas devem ser gradativas, sem queimar etapas. Essas etapas devem seguir um planejamento estratégico de etapas tais como: definição da missão, análise do contexto social, definição de objetivos, definição de estratégias e elaboração de um plano de ação. O gestor moderno deve seguir a linha de ser eficaz e eficiente. Para isso ele deve contar com profissionais que sejam capazes de atingir os objetivos propostos pela escola de samba.

“ ... dirigir significa dar direção, gerir,

governar, direcionar, encaminhar...”

Aurélio Buarque de Holanda

A metodologia aqui utilizada dá ênfase aos estudos de Administração Moderna de Empresa, pois não poderíamos falar neste assunto sem mencionar esta disciplina. Hoje, a gestão de uma escola de samba não pode estar desvinculada dos estudos de Administração. Ela é toda voltada para a ação gerencial participativa e que ao final dos trabalhos, ao longo do ano, consiga atingir os objetivos.

Uma organização não comercial “sem fins lucrativos” precisa sempre ter em mente que seu objetivo maior é alcançar os resultados que previu no projeto inicial. Um bom gestor precisa mostrar três fatores de fundamental importância em sua administração: eficácia, eficiência e efetividade.

Eficácia é o atingimento de fato das metas estabelecidas com o impacto esperado em cada uma. Efetividade é a construção de resultados permanentes e sustentáveis que garantam efeitos duradouros. Porém, o destaque maior vai para a eficiência, pois significa maximizar gastos operacionais ao máximo e, agindo assim conseguirá sempre recursos de forma sustentável para manter suas atividades porque, além de mostrar capacidade técnica-administrativa, conquistará legitimidade.

Nas escolas de samba de hoje, não há mais lugar para amadores. Não adianta manter pessoas em determinadas funções apenas por serem antigos na agremiação sem entretanto possuírem mérito para tal. Hoje as escolas possuem carnavalescos, figurinistas, aderecistas, coreógrafos, arquitetos, todos profissionais. As escolas de samba como misto de executores de projetos culturais e de entretenimento de massa, precisam de gestores competentes e que tenham as habilidades e conhecimentos necessários. Precisam ser dirigidas por administradores e gestores culturais devidamente gabaritados. Se não dirigidas, ao menos que seus diretores tenham assessoria e consultoria de profissionais.

É necessário planejar a produção. O número de profissionais necessários, negociar com fornecedores e realizar pesquisa de preço. Precisa-se estudar soluções para redução de desperdício, enfim, precisamos de gestores capazes de fazer com uma escola de samba que gaste menos e propicie espetáculos maravilhosos e projetos culturais que apresentem resultados.

Regina Passaes

Rio de Janeiro

Nenhum comentário:

Postar um comentário